A digitalização do sector naval

O sector marítimo e a construção naval encontram-se num período de crescimento crucial. Ao mesmo tempo, também está latente a necessidade de melhorar a sua eficiência energética, o que implica um desafio importante. Por isso, a redução tanto de emissões como de custos será fundamental para o sector marítimo 4.0. Neste artigo destacaremos quais são as soluções tecnológicas que acompanharão a digitalização do sector naval.

O sector naval tem três desafios nos quais a digitalização terá um papel fundamental:

  • Sustentabilidade: a Organização Marítima Internacional (OMI) tem como objetivo reduzir a média de intensidade de carbono (emissões de CO2 por cada serviço de transporte) em 40% até 2030 e 70% até 2050, em relação aos níveis registados em 2008. Da mesma forma, a OMI procura reduzir as emissões totais de gás efeito de estufa geradas pelo transporte marítimo em pelo menos 50% até 2050.
  • Redução de custos: uma análise dos investimentos da Indústria 4.0 realizado pela consultora McKinsey assinala o importante potencial da redução de custos. As indústrias que investem em digitalização reduzem os seus custos de exploração em 3,6% em média, melhorando a sua eficiência em 4,1%.
  • Maior produtividade: o estudo mencionado destaca os benefícios da digitalização em relação à produtividade com aumentos de 3 a 5%.

A digitalização do sector naval permite-nos abordar estes objetivos. As ferramentas tecnológicas têm lugar nas diferentes fases da construção naval e da automatização das tarefas nos barcos e portos, simplificam a gestão administrativa e reduzem o impacto que pode ter na eficiência de todos os processos da cadeia de fornecimento, para conseguir uma maior sustentabilidade.

O caminho a seguir para alcançar os desafios: ferramentas tecnológicas chave

Tradicionalmente, o sector naval é um dos mais conservadores e não entrou na digitalização ao mesmo nível que outros tais como os sectores automobilístico, aeroespacial, de maquinaria industrial ou de retalho, entre outros exemplos.

Tal como observamos, o maior desafio do sector naval nos próximos anos é reduzir o seu nível de contaminação, visto que historicamente tem sido um dos mais poluentes. Já vemos alguns exemplos de empresas navais que iniciaram a sua digitalização e, atualmente, conseguiram reduzir os custos de combustível e, desta forma, são já organizações mais simpáticas para com o ambiente.

Outro dos pontos chave é a melhoria na produtividade e no rendimento da frota futura. A construção naval, apoiada por um software CAD/CAM/CAE permite-nos o desenvolvimento de navios por um menor custo. O NX da Siemens Digital Industries Software otimiza as empresas do sector de forma ampla, desde o desenvolvimento conceptual a todo o ciclo de vida do navio, passando pelas fases de produção e teste no mar.

No caso dos estaleiros, como podemos aproveitar todo o potencial das instalações que temos? Neste caso, a ferramenta Teamcenter PLM permite-nos gerir o ciclo de vida completo e a cadeia de valor de forma integral. A implementação de uma plataforma PLM, que sincronize a criação e a reutilização de conhecimentos, pode otimizar toda a organização, desde o desenvolvimento conceptual ao design detalhado, passando pelas fases de produção e teste no mar e culminando em menores custos de propriedade do navio ou da frota.

Se desejar obter mais informação sobre a digitalização do sector naval, não hesite em nos contactar.

Na Avantek, oferecemos ajuda em todo o processo de implementação das ferramentas tecnológicas NX e Teamcenter PLM. O acompanhamento é feito durante o crescimento e a maturação do projeto.

Com efeito, a Avantek organiza um curso de 112 horas sobre design de barcos e estruturas, que começa no dia 10 de Novembro e termina a 21 de Dezembro. Clique neste link para mais informação.

Artigo anterior
O papel da PLM no futuro do sector automóvel: os carros conectados
Artigo seguinte
Webinar: NX CAM – Maquinação
Menu